A impermanência desta vida…

Tenho sempre presente que a pele se enrruga, que o cabelo se torna branco, que os dias se convertem em anos, mas o mais importante não muda.
A minha força interior e as minhas convicções não têm idade.
O meu espírito e o teu são os tecedores de qualquer teia de aranha.
Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida e sempre atrás de cada trunfo, há outro desafio.República Checa Julho 2006
Enquanto estiver vivo, prometo tentar sentir-me vivo.
Sempre que sinto saudades do que fazia, sempre tento tornar a fazê-lo.
Deixei de viver de fotografias amareladas.
Continuei, apesar de tanta gente esperar que abandonasse e não deixei que o ferro que há em mim se enferrugasse.
Em lugar de pena fiz com que me respeitassem.
E quando pelos anos não consiguir correr, trotarei.
Quando não conseguir trotar, caminharei.
Quando não conseguir caminhar, usarei uma bengala.
Mas tentarei nunca me deter.
Parar é morrer.
E a vida é preciosa exactamente porque sei que vou morrer um dia.

Bruno Piairo Teixeira

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: